Paris

Foto 09-02-17 23 01 38

Paris, a cidade do amor. Sem dúvida uma das cidades mais lindas e românticas que já conhecemos. Apesar de já termos ouvido muita gente criticando os franceses, dizendo que eram grossos, por exemplo, nossa experiência foi simplesmente fantástica e inesquecível. Não passamos por nenhuma situação que nos fizesse ter uma má impressão dos franceses ou da própria cidade, então indicamos muito essa viagem!

Assim, nossa proposta aqui é tentar ajudar você a montar um roteiro para Paris!


Quando ir para Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Qual é a melhor época para visitar Paris?

Nossa opinião é que não existe tempo ruim para visitar Paris, todas as estações são encantadoras e cada uma delas terá seu charme próprio.

Durante a Primavera (março a junho), a cidade fica florida e alegre. Os lugares estão sempre cheios, pois todos querem aproveitar o sol que volta a brilhar radiante após os meses frios.

No Verão (junho a setembro) a cidade está bastante cheia por conta das férias escolares. Faz bastante calor e a chuva pode ser frequente também.

O Outono (setembro a dezembro) é tido por muitos como o período ideal para conhecer Paris. Há linda folhagem cobrindo as ruas, o que gera um contraste lindo de se ver. A temperatura é amena e gostosa.

O Inverno (janeiro a março) é bastante gelado, com temperaturas que variam, em média de 1ºC a 7ºC. A cidade está linda, romântica e as pessoas parecem sempre elegantes. Os dias são curtos e às 17h começa a anoitecer. É preciso caprichar nos casacos e usar e abusar dos acessórios como luvas, gorros, cachecóis, segunda pele térmica, etc.

Foto 09-02-17 23 02 04


Como chegar em Paris cropped-cropped-img_0429.jpg


Qual é a melhor opção para chegar em Paris?

Paris conta com três aeroportos: o Charles de Gaulle (CDG), que é o maior e mais importante; Orly que é o mais próximo e o Beauvais, a uma hora e meia da cidade.

Há voos saindo de várias capitais brasileiras, mas quem deseja um voo direto deve optar Air France/KLM e Latam. O voo direto demora aproximadamente 11 horas, mas sai, normalmente, mais caro que voos com escala em outro país.

Nossa opção foi um voo pela British Airways, com parada de aproximadamente 10 horas em Londres. Como os voos mais baratos envolvem escala, sempre optamos por uma escala maior que, no caso, nos permitiu sair do aeroporto e fazer um city tour por Londres.

As pesquisas por voos podem ser feitas no Skyscanner, que é o site que mais usamos para saber quando os preços estão melhores.

Para aprender encontrar bons preços de passagens e promoções, leia o post “Como encontrar bons preços de passagens”!

Quem já está em viagem pela Europa pode optar por trem ou companhias aéreas low cost como a Ryanair, Easyjet ou Vueling.

Foto 09-02-17 23 00 46


Onde se hospedar em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Qual é o melhor lugar para se hospedar em Paris?

Ficar no coração de Paris é sempre a opção mais legal, embora não seja para todos os bolsos. Quando nós fomos, por exemplo (réveillon) estava absurdamente caro e fora de cogitação para nossa meta de gastos. Assim, optamos por ficar em uma região exatamente do lado chamada La Defense.

Vamos explicar melhor.

Paris é, oficialmente, dividida em “arrondissents”, são 20 no total e cada um representa uma zona da cidade. Quanto menor o número, mais central a região. Não é que cada arrondissement seja um bairro, até porque as vezes engloba mais de um.

parismap

Assim, para quem tem disponibilidade financeira, o ideal é se hospedar em algum dos oito primeiros arrondissements. Você estará perto das principais atrações e conseguirá fazer bastante coisa a pé.

Não sendo possível, procure saber se há uma estação de metrô próxima ao seu hotel. Isso é de suma importância para ter um passeio agradável e conseguir visitar os principais pontos da cidade sem gastar muito.

Como já adiantei, ficamos em La Defense, que é uma região que não é mais Paris, embora se situe em um prolongamento da Champs Elysées. É um grande centro financeiro de Paris e onde encontramos hotéis com preços muito mais acessíveis.

Nos hospedamos no Mercure e havia uma estação de metrô próxima, cerca de 10 minutos de caminhada. Colado ao hotel há um supermercado Carrefour, de modo que era maravilhoso para fazer comprinhas de lanches, água, etc.

map la defense

No mapa acima vocês conseguem ver a distância de La Defense dos demais pontos turísticos de Paris. Pode parecer longe para muitos, mas é muito fácil usar o metrô, é apenas uma linha reta e, em doze paradas (em média 16 minutos), você chega no Louvre, por exemplo.

Veja:

map la defense 2.png

Não precisa descer, não precisa trocar de metrô. Se seu orçamento estiver apertado e o objetivo for economizar, garanto que vale muito a pena.

Um hotel melhor ainda que o Mercure é o Meliá, pois a estação de metrô é exatamente grudada a ele, você sai do hotel e já está dentro do metrô. Um casal de amigos que foi com a gente ficou nesse hotel e eles adoraram. Todos os dias saíamos do nosso, fazíamos a caminhada de 10 minutos e encontrávamos com eles nesta estação.

Ambos os hotéis não possuem café da manhã incluído, mas tomávamos café no próprio metrô, em lanchonetes que existem em todos eles.


O que visitar em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Quais os principais pontos turísticos de Paris?

Não é possível dizer que saberemos indicar tudo de legal que há para visitar em Paris. Humildemente nos limitaremos a narrar nossa experiência, elencando os principais pontos turísticos e indicando o que gostamos mais.

Arco do Triunfo:

Situado na praça Charles de Gaulle, foi inaugurado em 1836 e construído em comemoração às vitórias militares do Napoleão Bonaparte.

Foto 18-09-17 13 52 15

Champs-Élysés:

É a principal avenida de Paris e, sem sombra de dúvidas, uma das mais lindas e conhecidas do mundo. Há inúmeras lojas, cafés e restaurantes.

Pont Alexandre III:

Construída em 1900, foi um presente do tsar da Russia Alexandre III aos franceses. Além da beleza da Ponte, super extravagante e ornamentada, você terá uma das vistas mais bonitas da cidade.

Rio Sena:

Um dos principais rios de Paris, é de uma beleza incrível. Você pode simplesmente passear por uma das pontes que o atravessa ou fazer um dos passeios nos famosos bateux mouches.

Foto 09-02-17 23 01 45

Grand Palais e Petit Palais:

Localizados na Avenida Winston Churchill, com suas cúpulas de vidro, formam um dos conjuntos arquitetônicos mais charmosos e elegantes de Paris. Há excelentes exposições temporárias.

Place de La Concorde:

Durante a revolução Francesa, esteve instalada ai a guilhotina, onde foram executados, dentre outros, Luís XIV e a rainha Maria Antonieta.

Jardin de Tuileries:

Um jardim de um palácio que não mais existe, mas um dos mais lindos jardins de Paris. Precisa de bastante tempo para conhecê-lo , pois é enorme.

Museu do Louvre:

Um dos museus mais famosos do mundo. É onde se localizam famosas obras como Mona Lisa, Vitória de Samotrácia e Vênus de Milo. É enorme, com cinco andares e cerca de 35.000 obras. Para uma primeira visita, indico tirar pelo menos cinco horas para conhecer as principais obras, estando com um guia em  mãos, caso contrário você irá se perder  e ficar confuso.

Indico o livro O Essencial do Museu do Louvre. É bem baratinho e nos ajudou muito nesse passeio!

Foto 14-02-17 00 06 33

Igreja da Madeleine:

Situada na praça da Concórdia, é uma igreja católica consagrada a Santa Maria Madalena.

Abadia de Saint-Germain-des-Prés:

É a igreja mais antiga da cidade ainda de pé.

Pierre Hermé:

Não é bem um “ponto turístico” propriamente dito, mas indico por ser ser considerado o lugar com um dos melhores macarons de Paris. Quando fomos havia uma fila imensa, mas valeu a pena esperar.

Pont des arts:

Construída em 1804, era conhecia como a “famosa ponte dos cadeados”, mas por motivos de segurança, os cadeados foram retirados (o que não impediu os turistas de mudarem para a ponte do lado (Pont Neuf).

Pont Neuf:

É a atual ponte dos cadeados dos casais apaixonados.

Há pessoas vendendo cadeados no lugar, mas são bem mais caros, então caso queira deixar o seu lá, melhor levar de casa.

Foto 09-02-17 23 01 05

Conciergerie e Saint-Chapelle:

São os principais vestígios do Palais de La Cité, que foi a primeira residência real da cidade, mas posteriormente transformada em prisão que, durante a revolução francesa, recebeu Maria Antonieta.

Catedral de Notre Dame:

É a catedral gótica mais famosa de Paris e uma das mais antigas do mundo. É de grande importância, pois foram ai realizados casamentos dos grandes nomes da história, bem como seus velórios e outros eventos festivos. A visitação à catedral é gratuita, mas para subir em suas torres precisa pagar, lembrando que são 422 degraus.

Foto 09-02-17 23 00 40

Centre Pompidou

É um museu com um dos maiores acervos de arte moderna e contemporânea do mundo.

Foto 09-02-17 23 00 48

Torre Eiffel

Sem dúvida o principal cartão postal da cidade e de uma beleza única. É o monumento mais visitado do mundo  e possui 324 metros de altura. O acesso é pago e precisa ser comprado com antecedência (valores variam de 7 euros a 17 euros por pessoa). Outro jeito de acessar a torre é reservar um dos restaurantes ali se encontram, que é o caso do 58 Tour Eiffel. Foi a opção que escolhemos porque como resolvemos viajar “em cima da hora”, os ingressos já estavam esgotados.

Outras informações no site: http://www.toureiffel.paris/en/pt

Foto 09-02-17 23 01 55

Moulin Rouge:

Um dos mais famosos e tradicionais cabarés de Paris. Há shows diários, embora não tenhamos ido.

Basílica de Sacré-Coeur:

É o segundo monumento com entrada gratuita mais visitado de Paris.

Foto 18-09-17 13 55 54

Para os amantes de museus:

Além do museu do Louvre, optamos por conhecer o Museu de L’Armée apenas. No entanto há outros bastante conhecidos, que vamos enumerar abaixo.

Musée de L’Armée:

Localizado no Hotel des Invalide, é bem legal. Diversas armas, armaduras, uniformes, o  o cavalo branco de Napoleão e também seu túmulo encantam os visitantes.

Jeu de Paume:

Localizado no Jardin des Tuileries, possui exposições temporárias de arte contemporânea.

Museé de L’Orangerie:

Também localizado no Jardin des Tuileries, tem como acervo as Ninfeias e um conjunto de mais de 200 obras de Monet.

Musée des Beaux Arts de la Ville de Paris:

Localizado dentro do Petit Palais, tem um acervo permanente (com obras de Rodin, Delacroix, Toulouse-Lautrec e outros) com entrada gratuita.

Musée des Égouts de Paris:

História dos esgotos da cidade, interessante para crianças.

Musée du Quai Branly:

Situado nas margens do Rio Sena, é dedicado às civilizações da África, América e Oceania.

Museu D’Orsay:

Está entre os três principais museus de Paris (ao lado do Louvre e Pompideu)

Museu Carnavalet:

Não é recomendado para uma primeira visita à Paris, mas a entrada gratuita para as exposições permanentes e paga para as exposições temporárias.


Quanto tempo ficar em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Quantos dias são necessários para conhecer Paris?

Como sempre afirmamos, é algo muito relativo, dependendo da disponibilidade financeira e orçamentária de cada um. Como grande e bela capital que é, acho que é possível residir em Paris por anos e ainda assim estar sempre descobrindo coisas novas. No entanto, com um olhar de turista, indicaria pelo menos 5 dias inteiros na cidade para visitar os principais pontos turísticos com calma e poder desfrutar de suas belezas e encantos.

Quem estiver indo no inverno terá mais dificuldades ainda para aproveitar a cidade, uma vez que anoitece muito cedo, por volta de 17h30 o sol já vai desaparecendo e o frio aumenta muito, muito mesmo. Pela manhã, também em razão do frio, é difícil conseguir acordar muito cedo para começar as caminhadas.

Nossa experiência foi maravilhosa, mas era raro fazer algum programa noturno, às 18h passávamos em um mercado, comprávamos algo para jantar e íamos para o hotel nos aquecer, pois o frio realmente é muito e, nessa hora do dia, começava (pelo menos para a gente) ficar insuportável.

Foto 09-02-17 23 00 35


Sugestão de roteirocropped-cropped-img_0429.jpg


Vamos fazer uma sugestão com base no roteiro que fizemos! Espero que gostem!

Primeiramente, acompanhe o site Conexão Paris e suas dicas maravilhosas. Eles possuem um livrinho fantástico chamado Paris: Cinco Roteiros em Quatro Dias. Vale muito a pena comprar. Não ganhamos nada fazendo propaganda, mas indicamos porque foi o que nos ajudou demais na nossa viagem. O livro traz cinco roteiros detalhados a serem feito a pé, indica pontos turísticos, restaurantes, lojas, etc e traz mapas ilustrados de cada região. Ele é tão incrível que diz para qual estação do metrô você tem que ir para começar cada passeio e vai te indicando o passo a passo, tipo “vire a direita na rua x, a sua esquerda estará a loja fantástica y” e por ai vai…

Como tínhamos mais tempo do que quatro dias, destrinchamos alguns roteiros e fizemos em maior tempo, assim, com base neste maravilhoso guia e nossas adaptações, sugerimos o seguinte roteiro:

Dia 1

Paris do Luxo e da Moda: Partida do Arco do Triunfo, caminhada pela Champs-Elysées, Place de L’Alma, Pont Alexandre III, Grand Palais, Petit Palais, Place de La Concorde, Jardin des Tuileries, Place de La Madeleine, Place Vendôme, Jardin du Palais Royal.

Dia 2

Paris da Lendária Rive Gauche: Partida da Rue du Bac, passeio até Boulevard Sant-Germain, Igreja e Place Saint-Germain des Prés, Place Saint Suplice, Pont des arts.

Dia 3

Paris histórica e descolada: Pont Neuf, Catedral de Notre-Dame, Centre Pompideu, Sainte-chapelle.

Dia 4

Paris dos meus e da Torre Eiffel: Torre Eiffle, Pont Alexandre III, Esplanade des Invalides, Palais Bourbon.

Foto 09-02-17 23 01 42

Dia 5

Paris boêmia e bucólica: Place Blanche, Moulin Rouge, Café des Deux Moulin (café do filme Amélie Poulain), Place Abesses, Basília de Sacré-Coeur, Place Saint Pierre, vinhas de Montmartre, Place Marcel Aymé, Place Émile-Goudeau, Place Pigalle.

Dia 6

Eu achei o roteiro 1 do livro bem grande, então resolvi terminá-lo no dia 6. É uma opção, caso você tenha mais dias disponíveis.

Dia 7

Museu do Louvre. Sim, acho legal tirar um dia todo para o museu e, mesmo assim, você não conseguirá ver tudo.

Dia 8

Ida a Versailles. Também precisa de um dia todo, é longe! Será objeto de um post separado.

Dias 9 e 10

Ida a Colmar e Estrasburgo.

Para saber como visitar essas cidades leia o post:  Colmar e Estraburgo!

 

Foto 09-02-17 23 01 40


Como se locomover em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Qual é melhor jeito de se locomover em Paris?

Chegando em Paris, para ir para o hotel, utilizamos o Uber normalmente, como fazemos no Brasil. Já era noite e não quisemos “aprender a usar” o metrô esse horário, preferimos deixar para o dia seguinte.

A primeira forma, mais econômica e gostosa, de se locomover é caminhando. É simplesmente fantástico caminhar pelas ruas da cidade, sempre lindas e charmosas. Como já mencionado acima, o site Conexão Paris, inclusive, indica um super roteiro para conhecer Paris dessa forma.

Só que claro, alguns pontos são distantes. Nesse caso,  sem dúvida alguma, acreditamos que a melhor opção é usar o metrô. Para você ter uma ideia, há mais de 300 estações e onde quer que você esteja, haverá sempre uma estação a uma distância máxima de quinhentos metros.

Há, inclusive, vários aplicativos de celular que ensinam exatamente qual linha pegar. Você digita a origem, o destino e ele traça a rota. É bem bacana e utilizávamos o tempo todo.

O metrô funciona das 05h30 às 00h40, diariamente.

Há uma variedade de tickets disponíveis: passeio único, combos de 10 ou 20, etc. Indicamos muito os combos de 10 (ou 20), há um desconto considerável e você não precisa enfrentar filas toda hora. Em média, o valor é 1,90 euros, no combo você consegue economizar aproximadamente 0,50 euros por passe.

Guarde sempre o ticket com você, não jogue fora após passar pela catraca, caso haja fiscalização, você terá que mostrar e será multado se não estiver com o ticket em mãos.

Há, ainda, o trem RER que liga Paris às cidades vizinhas e aos aeroportos, utilizando 5 grandes linhas e algumas estações do metrô. Eles são ainda mais rápidos, pois não fazem tantas paradas. Deve ser utilizado quando o destino for mais distante, como Versailles ou Eurodisney, por exemplo. As estações normalmente são as mesmas do metrô, só que haverá sempre a palavra “gare” quando lá também passar o RER.

Para os amantes de bicicletas, esta é também uma opção para conhecer a cidade. Não foi a nossa, principalmente porque o frio não permitia, mas se for seu perfil e a estação do ano ajudar, é uma opção barata e muito charmosa. Há vários totens onde você consegue alugar uma bicicleta Vélib, por um valor médio de 8 euros por 7 dias ou 1,70 euros por dia.

Foto 09-02-17 23 01 57


Restaurantes e bares em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


Comemos maravilhosamente bem nessa viagem. Muito mesmo. A maioria dos restaurantes escolhemos por feeling mesmo, olhando a cara, lendo o cardápio (ou pelo menos tentando rsrs) e fizemos sempre ótimas escolhas. Todos (ou quase todos) os restaurantes oferecem uma cestinha de pães gratuita, enquanto a comida não chega. É uma delícia!

De todo modo, para aqueles que preferem indicações, vou listar alguns mencionados pelos usuários do TripAdvisor:

Sofisticados:

  • ASPIC
    24 rue de la Tour D Auvergne, 75009
  • Epicure
    112 Rue Du Faubourg Saint-Honore | Le Bristol Paris, 75008
  • Etude
    14 rue du Bouquet de Longchamp, 75116
  • L’Abeille
    10 Avenue d Iena | Shangri-La Hotel, Paris – Lobby Level, 75116
  • Boutary
    25 rue Mazarine, 75006
  • Le Cinq
    31 Avenue George V | Four Seasons Hôtel George V, 75008
  • Le Gabriel
    42 avenue Gabriel | La Réserve Hotel, Spa and Apartments, 75008

Populares

  • Joe Burger
    49 rue Descartes, 75005 Paris
  • La Petite Rose des Sables
    6 rue de Lancry, 75010
  • Mersea
    6 Rue Faubourg Montmartre, 75009
  • Fermier Gourmet
    185 rue du Temple, 75003
  • Mobster Diner
    20 rue des Boulangers | 75005

O que mais se destacou, na nossa opinião, foi o 58 Tour Eiffellocalizado no primeiro andar da Torre Eiffel. É uma experiência inesquecível. Optamos pelo jantar das 18h30 (mas já era noite) e a mágica do lugar é algo difícil de descrever. A reserva tem que ser feita com bastante antecedência, pois lota rápido.

Há opção de almoço e jantar. Há sempre dois horários disponíveis: 12 e 13h30 para o almoço e 18h30 ou 21h. No horário das 18h você tem que sair até as 20h, foi a única coisa chatinha que achamos, mas nada que tenha atrapalhado a noite.

O almoço custa, em média, 45 euros por pessoa (entrada, prato principal, sobremesa e uma taça de vinho ou refrigerante). Para o jantar há duas opções: um de 100 euros por pessoa (taça de champanhe, entrada, prato principal, sobremesa, água mineral, café e vinho) e um de 170 euros por pessoa (taça de champanhe, aperitivos, menu degustação, vinho de alta qualidade, água e café).

Mesmo o valor sendo um pouco puxado, acho que é uma experiência única de vida, valendo a pena o investimento. Você está sentando para almoçar/jantar na torre mais famosa do mundo, com uma cidade maravilhosa a seus pés. É sério, impossível não se apaixonar. Além disso, é importante frisar que, com a reserva do restaurante, você tem acesso ao primeiro andar da torre gratuitamente e o principal, sem filas, basta mostrar o bilhete impresso da reserva e, se desejar, paga apenas para alcançar o segundo piso.

AP1_0060


Segurança cropped-cropped-img_0429.jpg


Paris é uma cidade segura?

Embora não haja, em Paris, uma violência tão comum como a que estamos acostumados a ver nos noticiários brasileiros, todo cuidado é sempre bem vindo.

Há muitos batedores de carteiras, os famosos pickpockets. Evitem andar com bolsa para trás, carteiras ou celulares em bolsos, principalmente nos metrôs. É bom também guardar uma cópia do seu passaporte e outros documentos pessoais, pois o furto de passaporte também é comum, principalmente com intenção de venda no mercado negro. Confira, também, sempre o seu cartão de crédito, para saber se não foi trocado, ao pagar uma conta.

Desconfie sempre de moças “surdas-mudas” com um questionário em mãos, há várias pessoas que narram terem sido vítimas de furtos praticados por elas.

Cuidado com o famoso golpe do anel de ouro. Uma pessoa finge encontrar um anel de ouro perto do turista e, mesmo afirmando que não é o dono do anel, o golpista o oferece em troca de um trocado. Mas em seus bolsos há milhares de anéis que custam uma mixaria.

Há também os famosos vendedores de pulseiras e fitas em Montmartre. São homens negros, altos e fortes que se aproximam puxando algum assunto aleatório, eles estão sorridentes e puxam algum assunto “em português”, para conquistar a simpatia do turista. Nesse momento, dizem que querem presentear o turista com uma pulseirinha e pedem que estique o braço. Se você o faz, ele amarra a pulseira/fita de uma forma que é impossível tirar e passam a exigir uma retribuição em dinheiro. Se você diz que não tem ou se oferece poucas moedas, será seriamente intimidado, o homem começa a te seguir e dizer que quer o dinheiro dele, muitas vezes aparecem outros, todos altos e fortes e você, com medo, acaba dando a quantia que eles determinam. Evite qualquer aproximação, de preferência, mantenha os braços cruzados e não converse com eles, para evitar essa verdadeira extorsão. Se reparar bem, vai ver várias pulseiras arrebentadas pelo chão, nessa região, provavelmente de pessoas que também foram assediadas.

Muito comum também são as apostas de rua. Você só será enganado se quiser participar, não vale a pena, é tudo planejado e você irá perder dinheiro.

Foto 09-02-17 23 01 03

 


 

Idioma cropped-cropped-img_0429.jpg


Claro, o francês e, como muitos já devem ter ouvido, os franceses não são muito receptivos com quem chega falando inglês.

Como eu, Thaís, estudei francês muitos anos, consegui me virar bem. No início tava meio tímida e travada, mas depois vi que eles gostam que você fale o idioma deles e foram bem educados em tentar entender meu francês cheio de sotaque rsrs.

Mesmo que você não fale francês, tente aprender meia dúzia de expressões e, SEMPRE, que for conversar com uma pessoa, um atendente ou quem quer que seja, comece com um “bonjour madame” ou “bonjour monsieur”. A recepção será bem mais tranquila, garanto.

Um casal de amigos que viajou com a gente, mesmo não falando francês, foram muito bem recebidos falando inglês em todo lugar que chegavam, então mesmo já tendo ouvido milhares de histórias sobre pessoas que foram má atendidas ou até ignoradas porque falaram inglês, não temos nada a reclamar, pois não aconteceu nenhum episódio do tipo com a gente.

Foto 09-02-17 23 01 18 (1)


Moeda e Gastos em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


A moeda é o euro, que compramos ainda no Brasil. Os gastos diários é algo meio pessoal, mas eu diria, em média, uns 70 euros por pessoa, com passeios, transporte e alimentação (fora hospedagem e voo).

As refeições costumam ser vendidas em “formules”, que são combos que incluem entrada, prato principal e sobremesa ou só prato principal e sobremesa, custavam, em média 18, 20 euros por pessoa.

Um bom almoço (entrada, prato e sobremesa) com vinho e água, sai em média 60 euros por casal.

As lembrancinhas custam, em média, 3 euros o chaveiro, 10 euros  camiseta. Um excelente lugar para comprar lembrancinhas é Montmartre, foi onde encontramos os melhores preços.

Há quem indique o Paris Museum Pass, nós não compramos, pois não tínhamos intenção de visitar muitos museus. Se também não for sua intenção, não vale a pena. Caso você queira, poderá adquiri-lo em pontos de apoio ao turista, bilheterias dos museus, loja FNAC ou no próprio site deles.

Lembrando que o Museum Pass permite o acesso aos seguintes museus e monumentos: Arco do Triunfo, Centre Pompidou, Musée des Arts Decoratifs, Musée du Quai Branly, La Villette, Conciergerie, Musée du Louvre, Crypte de Notre Dame, Torres da Notre Dame, Musée Orangerie, Musée d’Orsay, Panthéon, Musée Rodin, Sainte Chapelle e, fora de Paris, ao Château de Chantilly, Château de Fontainebleau, Château Malmaison, Château de Rambouillet, Basilique de Saint Denis, Château de Versailles, Château de Vincennes.

Para usá-lo em 2 dias o valor é 48 euros, para 4 dias 62 euros e para 6 dias 74 euros (preços em 07/08/2017).

A entrada do Louvre custa 17 euros e a entrada do castelo de Versailles 20 euros.

Foto 18-09-17 18 34 58

 


Chip de celularcropped-cropped-img_0429.jpg


Não compramos chip, pois na cidade há milhares de pontos com Wi-fi gratuito, como na Champs Elysée, por exemplo. Normalmente, basta um cadastro simples e você terá internet por duas horas, podendo ser renovada ilimitadamente.

Assim, apesar de ser fácil encontrar Wi-fi em cafés e restaurantes, caso queira sair do Brasil com seu chip em mãos, nos indicamos o chip Easysim4you .

Compramos no Brasil e recebemos em nossa casa em menos de uma semana. Com esse chip tivemos internet no celular em todos os países que fomos. Valeu muito a pena porque se fôssemos comprar um chip de cada país ficaria bem mais caro e daria muito mais trabalho, então preferimos este porque funcionou em todos os sete países que visitamos!

Se achar que vai ser útil para você e quiser ajudar o blog, compre o seu através desse link, você não paga nada a mais por isso e nós ganhamos uma pequena comissão, que ajuda a manter o blog ativo. 🙂

Banner Afiliados 250x250-01


Seguro viagem cropped-cropped-img_0429.jpg


O seguro viagem é obrigatório, não esqueça o seu porque a gente nunca espera usar, mas nunca sabemos o que pode acontecer!

Nós indicamos a parceira Seguros Promo porque, preenchendo os dados solicitados, você consegue orçamentos de diversas empresas que oferecem o serviço e pode analisar cada um deles, decidindo pelo que melhor atenda seus objetivos. Há opções bem baratas, vale muito a pena conferir!

Além disso, usando nosso cupom HAJAVIAGEM5 você ainda ganha 5% de desconto no valor do orçamento.

Confira os valores acessando este link ou o banner do lado direito da página.

infografico_sp_2


Inverno em Pariscropped-cropped-img_0429.jpg


As roupas para as outras estações são tranquilas, mas no inverno é bom alertar os leitores, pois muitos ficam em dúvida sobre “quão frio fica a cidade”.

Nós fomos em dezembro de 2016 e pegamos temperatura de 3 graus negativos, para quem não sabe que frio é esse, só digo uma coisa: dói e dói muito. hahahah

Eu, Thaís, saía do hotel usando blusa térmica, duas blusas de lã e mais um casaco pesado. Usava, também, calça térmica por baixo da calça jeans e um meião térmico com uma botinha da Timberland. O Otávio não sentia tanto frio quanto eu, mas mesmo assim usava pelo menos uma blusa térmica, uma blusa de lã e um casaco pesado.

Gorros e luvas também são necessários, a orelha congela, os dedos também. Teve dias que usávamos duas luvas, uma por cima da outra, pra conseguir aquecer as mãos.

Mesmo com tanta roupa, eu tive queimadura de frio em algumas partes da perna, nem entendi direito bem o porquê, mas aconteceu e ficou um vermelhão com uma casquinha. Também acontecia na testa, onde o gorro encostava, acho que é um pouco em razão do atrito.

As roupas de frio compramos no site da Decathlon, uma loja bem legal com preços acessíveis, comparada às demais do gênero. Alguns itens comprei lá, como outros gorros e a segunda luva, mas os preços não são bons, então aconselho a levar o máximo de coisa daqui mesmo.

Foto 09-02-17 23 02 55


Dicas Gerais cropped-cropped-img_0429.jpg


Paris é uma cidade maravilhosa e, quem não sabe, foi onde ficamos noivos , então temos ainda mais motivos para amar! 😀 #ficaadicaparaoscasais

A primeira dica e que já disse antes é, antes de ir, acompanhe o site Conexão Paris que tem dicas sempre incríveis e atualizadas. Eles possuem vários livros temáticos e nós optamos por comprar dois: Paris: Cinco Roteiros em Quatro Dias e o O Essencial do Museu do Louvre, são ótimos e um excelente custo benefício. Aproveitamos diversas dicas e tornou nossa viagem muito mais fácil e agradável.

Se quiserem conhecer outros lugares, vale a pena dar um pulo na região da Alsácia, é simplesmente linda! Nós optamos por conhecer Estrasburgo e Colmar. Não é tão longe de trem (1h30 mais ou menos), saímos cedinho de Paris com destino a Colmar, dormimos lá e no dia seguinte pegamos o trem para Estraburgo, onde passamos o dia. A noite pegamos um trem de volta para Paris.

Há quem opte por ir até Bruxelas, que também é perto, mas como queríamos aproveitar o máximo de Paris, optamos por não fazer isso.

Então é isso, se tiver ficado alguma dúvida, não deixe de perguntar, é sempre bom ajudar outros viajantes e trocar experiências! Grande beijo!

Foto 09-02-17 23 00 51

 

1 Comment »

Deixe uma resposta